Bebedouro público para cães e gatos na praça faz sucesso.

A Prefeitura de Botucatu (a 238 km de São Paulo) instalou um bebedouro para cães e gatos na praça Rubião Junior, em setembro do ano passado, mas viu o sucesso do equipamento aumentar cada vez mais com a chegada do verão –e das altas temperaturas, que deixam os bichos com sede.
O equipamento é uma espécie de cuba de pia em inox com uma válvula que permite enchê-la por meio de um registro que é acionado manualmente.
“O funcionamento é simples, o proprietário do animal só vai precisar se agachar próximo ao bebedouro para acionar a válvula que libera água antiga e permite que a cuba se encha com a água fresca nova”, explica o servidor público Darci da Silva, criador do sistema. Ele trabalha há 20 anos no município.
Ele afirma que já está pensando em algo mais moderno. “Quero uma válvula que não obrigue o proprietário do animal a se abaixar para acionar, mas que ele possa apenas pisar no chão para trocar a água de maneira mais fácil”, diz.
Silva afirma que o sucesso é tão grande que são inúmeros os pedidos para que o setor de obras de Botucatu instale o mesmo sistema em outras praças da cidade.
“Tem gente pedindo para instalar em outras praças, fico contente de ver algo criado por mim ser aprovado pela população”, afirma o servidor.
A prefeitura informou que já trabalha para aumentar a quantidade de bebedouros caninos em outras praças da cidade.
As próximas a serem contempladas serão as praças Emílio Peduti (Bosque), Brasil Japão e Alexandre Fleming.
Camila Domingues Garcia diz que sempre levou seu cachorro, a basset Doçura, para passear de manhã e no final da tarde.
“Antes sempre levava uma garrafinha com água pra matar a sede dela, agora com a reformulação da praça e com a instalação do bebedouro, ela faz a festa para se refrescar”, afirma.
Para o veterinário Airton Luís Pegoraro, os animais sofrem muito nessa época do ano com o calor.
De acordo com ele, o tamanho e o peso do animal são os fatores que irão determinar o quanto ele precisa consumir de água por dia, mas um animal pequeno, que tenha entre seis e oito quilos, deve ingerir em média 190 ml de água, o que representa um copo do tipo americano.
De acordo com o veterinário, é preciso lembrar que os mais ativos vão consumir mais água no dia, assim como os que saem para passeio ou fazem exercícios.
“A água é essencial para a saúde tanto de gatos quanto de cachorros, um animal desidratado pode morrer em menos de 24 horas”, avisa.
“É preciso que água esteja fria, não gelada, e seja trocada de três a quatro vezes ao dia, e que o pote seja mantido sempre limpo”, afirma.
Fonte: http://boainformacao.com.br/

Postagens mais visitadas