Crematório promove treinamento sobre luto a estudantes de veterinária

Especialistas palestram sobre a importância do apoio emocional aos tutores que perderam um animal de estimação. Encontro do último sábado (07) contou com a participação de estudantes do curso ‘Auxiliar de Veterinário’, do hospital Santa Inês.
 
O luto pela perda de um animal de estimação não é reconhecido pela sociedade e estudos também demonstraram a falta de preparo dos profissionais da área da saúde diante das manifestações de sofrimento dos tutores, uma vez que eles foram treinados para salvar vidas e não para perdê-las. Por entender a importância da elaboração do luto para os familiares que perderam um animal de estimação, o Pet Memorial, primeiro crematório de pets da América Latina, está promovendo um programa de treinamento inédito para estudantes de veterinária que querem compreender o processo do luto para oferecer a seus clientes o suporte emocional que eles necessitam.
 
As palestras, ministradas no próprio crematório, em São Bernardo do Campo (ABC Paulista), abordam o papel que os animais de estimação ocupam atualmente nas famílias, o que a perda desse membro significa para seus tutores, como o luto se manifesta e a importância do apoio ao enlutado durante todo o processo. “A sociedade pode não reconhecer o luto, mas as pessoas que estão envolvidas no adoecer e no falecimento do animal precisam reconhecê-lo e compreendê-lo, pois deixar o enlutado falar e manifestar seu sofrimento é o melhor remédio”, comenta a psicóloga especialista em Teoria, Pesquisa e Intervenção em Luto, psicologia hospitalar e consultora do Pet Memorial, Joelma Ruiz.
 
O treinamento é voltado para estudantes dos cursos de medicina veterinária e técnico em veterinária e para colaboradores do setor. Estudantes do curso Técnico em Tenfermagem do Provet e do curso de Veterinária das universidades FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas) e UNIP (Universidade Paulista) já participaram dos encontros.
 
Hospitais, clínicas, escolas e universidades interessados na parceria devem entrar em contato com o Pet Memorial.
 
Hospital Veterinário Santa Inês
 
O mais recente encontro no Pet Memorial aconteceu no último sábado (07) e contou com a presença de estudantes do curso Auxiliar de Veterinário do Hospital Santa Inês, que foram acompanhados do auxiliar veterinário e coordenador do curso, Fábio Magalhães.
 
Um olhar além do paciente: auxiliando os tutores no processo do adoecer e morrer foi o tema abordado na palestra da psicóloga Joelma Ruiz. A especialista falou sobre como se manifesta o processo do luto, as diferentes reações desse processo e como os profissionais podem atuar como facilitadores. “A partir do momento do adoecer do animal e do impacto da internação, que é um evento da família, o principal cuidador se depara com a ruptura do mundo presumido, que é a mudança drástica de tudo o que ele conhece. Ali o processo do luto se inicia e os profissionais da saúde, que estiverem preparados para identificar e lidar com essa situação poderão acolher e validar esses sentimentos oferecendo um atendimento para toda a família”, explicou a psicóloga.
 
Os estudantes também acompanharam a palestra A importância do destino correto do corpo do animal para o meio ambiente, ministrada pelo Dr. Luiz Henrique Franco, médico veterinário pós-graduado em “Gestão Ambiental nas Empresas” (Universidade Católica de Santos) e responsável técnico do Pet Memorial. O especialista abordou os impactos ambientais resultantes do enterro ou do descarte incorreto do corpinho, entre eles a contaminação do solo e lençol freático ocasionada pela liberação de necrochorume, que alcançando rios e poços artesianos contaminam a água ingerida pelas pessoas e, assim, comprometem seriamente a saúde pública. “Além de ser ecologicamente correta, a cremação também é uma solução para a questão espacial, já que, ao fim do processo, o volume de cinzas equivale a 5% do volume original do corpo do pet”, explicou Dr. Luiz Henrique.

Postagens mais visitadas