Polícia interdita fábrica clandestina de água mineral

A Polícia Civil e o Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves interditaram uma fábrica clandestina de captação e envasamento de água localizada no município de Benevides, na região metropolitana de Belém.

Segundo a polícia, a empresa não teria licença ambiental para explorar recursos hídricos. O proprietário foi detido na última quarta-feira (15) e vai responder na Justiça pelo crime. De acordo com a delegada Virgínia Nascimento, da Divisão Especializada em Meio Ambiente (Dema), a operação foi esquematizada após recebimento de uma denúncia na terça-feira (14) e logo a Vigilância Sanitária foi acionada para que o local fosse interditado.
Durante o levantamento no local, a polícia constatou que a fábrica era responsável pela captação da água e ainda pelo envase do produto nos garrafões. O produto era comercializado no município de Benevides e em outras cidades da Grande Belém e interior do Pará, como se fosse mineral.
Um inquérito policial foi instaurado para apurar o crime de exploração de recursos hídricos sem licença ambiental, entre outras irregularidades. A delegada esclarece que para fazer a captação de água e envasamento do produto para comercialização é preciso ter licença ambiental expedida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), além de certificado de inspeção emitido pela Vigilância Sanitária.
G1 PA

Postagens mais visitadas