Spray acaba com intoxicação alimentar

Podemos estar testemunhando o fim da intoxicação alimentar. Cientistas da Universidade de Harvard criaram spray com gotículas de água eletricamente carregadas, que matam 98% das bactérias dos alimentos.

As doenças transmitidas por alimentos são uma gravíssima questão de saúde pública.

Nos Estados Unidos, a intoxicação alimentar afeta todos os anos 48 milhões de pessoas. 128 mil são hospitalizadas e três mil são vítimas fatais.
Embora o Brasil não disponha de estatísticas nesta área, por aqui o problema não é menos presente.
Os motivos variam entre alimentos fora da validade, água contaminada e cozinhas sem muita higiene.
Ainda, vírus, bactérias, protozoários e fungos podem ser transmitidos aos alimentos em qualquer etapa de sua produção, transporte e manipulação.
O combate convencional a estes agentes patogênicos envolve química, cuja manipulação requer equipamentos e mão de obra especializada – uma estrutura custosa e sonegada na maior parte das vezes.
Por ser uma ameaça onipresente, impressiona o anúncio de uma invenção que pode eliminar de vez o risco. Com a vantagem de não eliminar o meio ambiente ao redor junto.
Cientistas da Universidade de Harvard criaram um meio de eletrificar gotículas de água, para que liguem-se a radicais livres hidróxidos e superóxidos.
Nos testes, tomates e talheres foram contaminados com três bactérias (E. coli, Salmonela e Listeria).
Quando aspergido, o spray de água conseguiu eliminar entre 80% a 98% dos agentes patogênicos.
A invenção, chamada em inglês de Engineered Water Nanostructures (EWNS), pode num futuro próximo vir a substituir os métodos atuais de desinfecção.
Mas, embora ecologicamente correto, ainda será necessário ser aperfeiçoada, já que os métodos existentes conseguem eliminar 99,999% das ameaças.

Postagens mais visitadas