“Whatsapp da Dengue” completa um mês com 100% das solicitações resolvidas

A Secretaria de Saúde de Campina Grande inovou no trabalho de combate aos focos de dengue e nesta segunda-feira, 27, a população tem o que comemorar. É que o "Whatsapp da Dengue", o qual recebe solicitações e denúncias de locais que possam favorecer a proliferação do mosquito Aedes aegypti, completa um mês de funcionamento, atingindo a incrível marca de 100% das reclamações resolvidas.

A ferramenta, que tem se popularizado cada vez mais, serve como um importante meio de interação com o público através da internet. Ao receber solicitações e denúncias, o "Whatsapp da Dengue" agiliza o envio de equipes aos locais para fazer o trabalho de limpeza e prevenção.
Em um mês, foram realizadas 86 denúncias, das quais 77 foram plenamente solucionadas. Nas outras nove situações, os Agentes de Combate às Endemias já fizeram o trabalho técnico e agora se preparam para fazer trabalho educativo no local para que as pessoas não deixem os espaços virarem novamente criadouros dos mosquitos.
O número do "WhatsApp da Dengue" (9991-0553) não recebe ligações e é usado somente pelo aplicativo.
As pessoas enviam fotos e vídeos dos locais, geralmente terrenos baldios e casas abandonadas, possibilitando que as equipes definam quais espaços são prioridades e que enviem o número de profissionais e os materiais corretos para cada ação, otimizando o trabalho dos agentes.
Além disso, o usuário também pode tirar dúvidas e receber orientações sobre as atividades que ele mesmo pode fazer para diminuir os riscos de proliferação.
A interação instantânea com o operador do canal de relacionamento acontece apenas das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira, mas qualquer pessoa pode enviar as solicitações a qualquer horário de domingo a domingo que as equipes respondem no horário comercial.
Em 2015, foram notificados 56 casos suspeitos da dengue, nove foram confirmados, 19 descartados e 28 aguardam resultados dos exames.
Não houve nenhuma morte na cidade. A medida também ajuda a evitar a disseminação da Febre Chikungunya, principalmente neste período de chuvas e racionamento. Até o momento, Campina Grande não tem nenhum registro desta nova doença. 
De acordo com a gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses, Rossandra Oliveira, há outros trabalhos preventivos.
"Estamos investindo em campanhas e ações educativas em creches, escolas, feiras e praças, além do recolhimento de pneus, da colocação de peixe em cisternas, da borrifação e da distribuição de tampas para vedação de reservatórios utilizados durante o racionamento, já que identificamos que 94% dos focos estão em tonéis, baldes, cisternas e caixas d'água", disse.
Disk Dengue - Quem não tiver acesso ao WhatsApp, pode entrar em contato pelo Disk Dengue, através dos números 3310-7062 ou 3322-5760, em horário comercial, de segunda a sexta-feira.
Click PB

Postagens mais visitadas