Estudantes flagram rato em máquina de bebidas

Uma visita nada agradável foi flagrada por estudantes do UNIFESO na cantina do Campus Alto nesta sexta-feira, 08, pela manhã. Um rato passeava por uma máquina de bebidas enquanto o estabelecimento estava em pleno funcionamento e com razoável movimento. Rapidamente o flagrante do roedor ganhou repercussão pelas redes sociais e a instituição se viu obrigada a emitir uma nota oficial sobre o episódio. 


Em poucos minutos, um vídeo com o atendente da lanchonete afastando o animal e as fotos do flagra já registravam centenas de compartilhamentos. Para a instituição, dado o cronograma de ações sanitárias no local, a falta de prestação eficiente do serviço de coleta e limpeza urbana no entorno da unidade pode ter sido a responsável pela aparição do pequeno roedor.

Funcionário da empresa que presta o serviço para o Unifeso tenta conter o rato utilizando uma vassoura
Funcionário da empresa que presta o serviço para o Unifeso tenta conter o rato utilizando uma vassoura
A empresa Chapa Hall é a locatária do espaço e explora o serviço de alimentação nas unidades do UNIFESO e, segundo a direção da instituição, mantém os serviços de dedetização e desratização em dia, inclusive com o prazo de garantia do trabalho com ampla vigência. Mas, segundo a entidade educacional, o serviço de coleta e limpeza urbana ao entorno da unidade estaria propiciando a aparição deste tipo de animal, já que, tanto higienização, quanto o trabalho de prevenção contra vetores estavam sendo realizados com a frequência e qualidade necessárias para evitar a presença deste tipo de animal.

Além dos riscos evidentes à saúde dos estudantes, muitos questionavam a necessidade de se rever o estrutural da cantina da instituição. Os ratos transmitem, de maneira direta ou indireta, diversos tipos de doenças ao ser humano, entre elas, a leptospirose, a tifo murinho, que também é conhecida como febre murina, a triquinose e também a raiva. Depois de flagrado pelos universitários, o rato foi espantado, com a ajuda de uma vassoura, por um funcionário da cantina.

As pessoas demonstraram toda a indignação e revolta com o flagrante pelas redes sociais. “Nunca mais eu como lá”; “Que absurdo!”; “Não bebo mais nem água desse lugar”; “Minha neta querida você não pode imaginar a alegria que você me proporcionou! Estive à frente dessa cantina por 22 anos e nunca aconteceu isso, Graças a Deus! E pensar que não renovaram o meu contrato porque os meus produtos eram de baixa qualidade, pelo menos foi o que disse a administração”; “Tem que mandar trocar tudo, porque esse rato com certeza andou por todos os aparelhos ali. Certo mesmo fará quem não comer mais ali”; “Esqueceram de colocar uma placa de ‘proibido ratos’”, disseram algumas pessoas.

Diz o texto do UNIFESO encaminhado aos órgãos de comunicação e também afixado nos corredores dos Campi da instituição: “Diante da lastimável ocorrência na cantina do Campus Antônio Paulo Capanerna de Souza no inicio da manhã desta sexta-feira, 08 de maio, presenciada por alunos e outros usuários, e da qual foram gerados arquivos de imagens que já estão em circulação nas redes sociais, Informamos que: No contrato de locação firmado com a empresa Chapa Hall determinamos a execução periódica de serviços de dedetização e desratização, conforme preconizam as normas regulamentadoras, o que vem sendo feito pelo fornecedor e acompanhado pela Instituição. 

O próprio UNIFESO também promove periodicamente, conforme orienta a Vigilância Sanitária, ações de controle de pragas e vetores (animais que transmitem doenças) em todas as suas unidades. A documentação dos serviços realizados tanto pela cantina como pelo UNIFESO está disponível, respectivamente, na cantina e na Gerência de Materiais e Serviços. 

O UNIFESO também promove diariamente a higienização de todos os seus espaços, inclusive os arredores das cantinas, e cobra o mesmo cuidado do locatário. Entretanto, por maior que seja o cuidado interno, nossas unidades estão sujeitas à invasão de animais provenientes da área externa, em decorrência de um serviço público que não vem sendo prestado com a eficiência necessária. Tão logo ocorreu o incidente foi procedida uma varredura em busca de outros animais, o que não foi verificado. Isso leva a crer que o animal avistado é proveniente da área externa, visto não existirem aqui focos de que permitam a presença e a proliferação destes e de outros animais. De qualquer forma, uma nova dedetização será efetuada nos dias 09 e 10 de maio, embora a atual ainda esteja dentro de sua vigência, tendo sido executada recentemente. Os que desejarem maiores esclarecimentos podem ligar para os telefones: 2641-7041 (DAD) e 2641-7035 (GMS)”, finaliza a carta.


-

Postagens mais visitadas