Zoológico inova e usa equipamentos para acabar com o stress dos animais

Um parque em São Vicente, no litoral de São Paulo, está testando produtos diferentes para desestressar os animais que vivem em cativeiro. O Parque Ecológico Voturuá foi selecionado no 39º Congresso da Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil (SZB), em Foz do Iguaçu, Paraná, para realizar as experiências.

A bióloga Carla Cerqueira, uma das responsáveis pelo cuidado com os animais do Parque Ecológico, explica a escolha. “Durante a seleção foram escolhidos os parques que já participavam de congressos e cursos relacionados ao bem estar animal. Já temos essa prática de relatórios e pesquisas e por isso fomos selecionados", diz.
Bióloga Carla mostra alguns bolas que estão sendo utilizadas com os animais (Foto: Mariane Rossi/G1)
Bióloga Carla mostra alguns bolas que são usadas
com os animais (Foto: Mariane Rossi/G1)
Jabuti comendo as frutas colocadas dentro da bola (Foto: Mariane Rossi/G1)
Jabuti comendo as frutas colocadas dentro da bola
(Foto: Mariane Rossi/G1)
O parque ganhou um kit com 12 produtos para recreação que irão ajudar durante o processo de desenvolvimento dos animais. “Alguns, exclusivos para pequenos felinos, não serão utilizados. Não temos esse tipo de animal no parque. As bolinhas porém são extremamente úteis para a gente", afirma a bióloga.
Dentro de grandes e pequenas bolas, os profissionais colocam o alimento dos animais e deixam no espaço onde vive a espécie. A ideia é fazer com que os animais movimentem o objeto e encontrem trabalho para acessar a comida.  “Colocamos rações e frutas. O animal vai brincar, mexer e descobrir que por um buraco pequeno sai o alimento e, com isso, ele pode comer”, diz Carla.
Segundo a bióloga, há vários aspectos que são desenvolvidos com essa atividade. “Além da parte cognitiva, o tempo que ele vai gastar vai fazer com busque o alimento gastando o tempo como se estivesse na natureza. Ele fica entretido com isso e tira um pouco do stress do animal. Vira uma brincadeira”, diz ela.
Cerca de 10 macacos-prego, 20 jabutis, o tucano Pitt e dois saguis estão usando os produtos e tem se interessado pelo novo método. Alguns animais ficaram desconfiados no começo e depois encontram o alimento facilmente. Outros não tem tanto interesse pela novidade e demoram a saber que dentro da bola há comida. Por isso, os produtos não podem ser oferecidos a todo o momento. “Para os animais não cansarem, tem que ser de vez em quando. Tem que ser uma surpresa”, explica.


O bem-estar dos animais e a conservação da vida selvagem em cativeiro sempre foram trabalhados no Parque Ecológico Voturuá. “A gente já congela a carne e a fruta. São tipos de enriquecimento que a gente já praticava aqui. Faz parte da rotina do zoológico”, finaliza.

Saguis 'investigando' a bola diferente colocada no espaço deles (Foto: Mariane Rossi/G1)Saguis 'investigando' a bola diferente colocada no espaço deles (Foto: Mariane Rossi/G1)
Do G1 Santos



Postagens mais visitadas