Carne de cordeiro modificado com DNA de água-viva

Um cordeiro geneticamente modificado com o DNA de uma água-viva foi vendido para consumo humano na França, segundo uma reportagem do jornal francês Le ParisienO cordeiro, chamado de Ruby, era parte de um projeto chamado "Green Sheep" do Instituto Nacional para Pesquisa de Agricultura (INRA, na sigla em francês), no qual cientistas usavam o animal para estudar os impactos de diversos implantes usados em pessoas com doenças cardíacas.

Nascido em 2014, o animal era filho de uma mãe cujo DNA foi modificado com uma proteína fluorescente verde. O bicho nasceu com uma cor brilhante e pele transparente.
Segundo o Le Parisien, o cordeiro foi vendido a um açougue no final do ano passado, junto de outros animais que não foram geneticamente modificados. Então, Ruby foi vendido pelo açougue a uma pessoa ainda desconhecida em outubro de 2014. Ainda é não possível saber quantas pessoas podem ter comido a carne do bicho.
O INRA afirma que a ingestão da carne do cordeiro geneticamente modificado não é perigosa para seres humanos, mas pediu que promotores franceses investigassem o incidente, após uma investigação interna que foi iniciada em dezembro.
Em um comunicado divulgado à imprensa após a reportagem do Le Parisien, o INRA afirma acreditar que Ruby foi roubado do laboratório por empregados cujos nomes não foram divulgados. A agência também afirma que suspendeu a pessoa responsável pela venda do cordeiro, percebendo "tensões" no local onde o animal estava preso.
"Os fatos são inaceitáveis e exigem o maior rigor possível", afirmou Benoît Malpaux, diretor do centro de pesquisas do INRA, ao Le Parisien. "Somos uma instituição de pesquisa renomada no mundo todo, não podemos tolerar esse tipo de conduta."
Fonte: Le Parisien

Postagens mais visitadas