O risco está servido

Não importa se for um bistrô francês, uma cantina italiana ou um izakaya japonês.
Ao comer fora, geralmente é a saúde quem paga a conta.
Isso porque, apesar de confiar na qualidade dos alimentos servidos, a comida dos restaurantes podem ser piores que as opções mais baratas.

Estudo feito pela Universidade de Illinois (Estados Unidos) revela que, embora as refeições servidas em restaurantes possam ser mais saudáveis que os deliverys, com mais vitaminas, potássio e ômega 3, são também as que contêm mais sódio e colesterol.
Com isso, é de se esperar que quem come fora com frequência está mais apto a ter problemas de hipertensão.
Este é um assunto recorrente aqui no site.
Já vimos que este hábito soma 200 calorias a mais em média, em comparação com quem faz suas refeições em casa. Isso significa 10% do total de calorias ingeridas em um dia.
O interessante são os novos dados disponibilizados, que aumentam o nível do alerta.
A pesquisa analisou informações de 18.098 voluntários, colhidas ao longo de sete anos.
Quem se alimenta em restaurantes está exposto a refeições com mais colesterol, cerca de 58mg/dia.
A quantidade corresponde a 20% do limite recomendado, de 300mg/dia.
Quem come em lanchonetes fast food e restaurantes consumiu 10 gramas a mais de gorduras totais; e 3,49 gramas e 2,46 gramas, respectivamente, de gordura saturada que quem alimenta-se em casa.
Quanto ao sódio, as opções do cardápio fast food somam 300mg e, dos restaurantes, 412mg por dia.
É claro que as informações dizem respeito ao que se consome nos Estados Unidos.
Entretanto, lá como cá, é de se esperar que exista uma certa correlação.
A conclusão é uma só: devemos nos esforçar em preparar os próprios alimentos.
Só assim é possível controlar a quantidade de sal, açúcar e gordura, sem falar na higiene, do que comemos.

Postagens mais visitadas