Cerca de 70 pessoas que trabalham no Hospital foram diagnosticadas com intoxicação alimentar

Cerca de 70 pessoas que trabalham no Hospital São João de Deus (HSJD), em Divinópolis, foram diagnosticadas com intoxicação alimentar e dispensadas do trabalho nas últimas 48 horas. A informação foi confirmada na tarde desta quinta-feira (17) pela assessoria de imprensa da unidade. Exames de sangue começaram a ser feitos para apurar as causas do problema.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informou que enviará equipes à cozinha do hospital para verificar as condições de higiene. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) tem, nesta quinta-feira, cinco pacientes com suspeita de intoxicação alimentar e todas eles trabalham no HSJD. O sindicato da categoria cobrou medidas.
G1 conveseguiu conversar com uma funcionária do HSJD que se alimentou no hospital na terça-feira (15). Ela pediu para não ser identificada. "Estou com diarreia forte e dores no corpo. Na refeição que fiz tinha carne de boi, farofa, feijão e salada", contou.
Em nota, o HSJD informou que deu início a uma série de análises para tentar encontrar a causa do problema. "Foram colhidas amostras de alimentos e exames dos colaboradores para análise e o resultado deve sair dentro de 15 dias".
Estou com diarreia forte e dores no corpo. Na refeição que fiz tinha carne de boi, farofa, feijão e salada.
Enfermeira com quadro de intoxicação
O hospital também afirma que faz controle diário de qualidade da água e da comida oferecidas a pacientes e funcionários. "O Serviço de Nutrição e Dietética apresenta diariamente para a Vigilância Sanitária os pontos críticos de controle no processo de preparo e distribuição das refeições para todos os seus usuários", afirmou.
De acordo com Éden Pastora de Oliveira, médico do Trabalho no HSJD, os sintomas diarréia podem aparecer em até 72 horas após a intoxicação. "Por isso não há como definir que o problema esteja diretamente relacionado à alimentação no hospital, haja vista que muitos colaboradores alimentam fora, principalmente em lanchonetes e restaurantes próximos à instituição", disse.
Ainda de acordo com a assessoria do HSJD, informações extraoficiais que chegaram até o setor indicaram registros de casos de diarreia em várias partes do município, mas não conseguiram confirmar. No entanto, a assessoria da Semusa informou que há cinco casos suspeitos de intoxicação alimentar na UPA e todos os pacientes trabalham no Hospital São João de Deus.
A Vigiância Epidemiológica e Sanitária de Divinópolis afirmou que fez contato com o HSJD para verificar as condições da cozinha e se ainda há restos dos alimentos que foram servidos. "Também vamos pedir a coleta de materiais como sangue, fezes ou mesmo vômito para encaminhar as análises e identificar o que pode ter causado mal estar nos funcionários", afirmou a Semusa.
Sindicato
A presidente do Sindicato Profissional dos Enfermeiros e Empregados em Hospitais, Casas de Saúde, Duchistas e Massagistas (Sindeess), Denísia Aparecida, exigiu rigor na fiscalização. "Eu soube desse episódio porque estou com duas diretoras apresentando os sintomas. Uma delas trabalhou anteontem e ficou em casa ontem passando mal. Nossa providência é pedir uma fiscalização sobre a qualidade da comida oferecida", afirmou.

G1

Postagens mais visitadas