Suspeito de cobrar propina, diretor da Vigilância Sanitária é preso

O diretor da Vigilância Sanitária de Sarandi, no norte do Paraná, Ricardo Paraná de Jesus, foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na quinta-feira (10), suspeito de cobrar propina para a liberação de alvarás de funcionamento a empresas da cidade.

De acordo com o Ministério Público (MP-PR), o servidor dificultava a emissão do documento e, para liberar, exigia dinheiro de empresários. Um deles, dono de um laboratório de próteses dentárias, fez a denúncia ao Gaeco. Há outras vítimas, conforme os promotores.
O advogado do diretor, Aristóteles Rondon, afirma que ele alegou inocência. Conforme o suspeito, os cheques foram dados pelo empresário e eram devolvidos no momento em que os policiais o abordaram. 
Os R$ 4,8 mil, garante a defesa, eram referentes a acerto de férias e penhores.O delegado do Gaeco, Elmano Ciriaco, afirma que, com o funcionário da prefeitura, foram encontrados dois cheques de R$ 1 mil, assinados pelo empresário que havia acabado de receber a licença sanitária, além de outros R$ 4,8 mil em dinheiro.
O homem foi preso em flagrante, em frente à Secretaria de Saúde. Ele foi levado para a carceragem da Delegacia de Sarandi, onde permanece preso até a tarde desta sexta-feira (11).
Segundo a administração municipal, o funcionário é concursado, mas exercia o cargo de chefia por comissão - da direção, ele já foi exonerado. Para perder o emprego na prefeitura, por ser servidor de carreira, porém, ele precisa passar por um procedimento administrativo que comprove o crime.
G1 PR

Postagens mais visitadas