Vírus da pólio ressurge, diz OMS

Casos de um vírus debilitante da pólio derivado de vacina podem se disseminar na Guiné, afetada pelo Ebola, e no Mali depois que uma criança de colo da Guiné viajou ao Mali e se tornou o primeiro caso de pólio no país em mais de quatro anos, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira (7).

O caso - resultante de uma cepa do vírus conhecido como tipo 2, que veio de uma vacina - é o segundo revés em uma semana nos esforços globais para erradicar a pólio. Dois casos foram relatados na Ucrânia na semana passada.
“O risco de contaminação é considerado alto pelos dois países devido às baixas taxas de cobertura de vacinação tanto no Mali quanto na Guiné”, afirmou Cory Couillard, porta-voz da OMS, em um comentário à Reuters.
Exames preliminares revelaram que o bebê de 19 meses ficou paralisado no dia 20 de julho, sete dias depois de ser levado ao Mali para tratamento. A cepa é a mesma que foi encontrada em Siguiri, na região de Kankan, na Guiné, em agosto de 2014.
“Os dois países estão adotando medidas de emergência coordenadas para por fim ao surto rapidamente."
A infecção de pólio derivada da vacina é desencadeada quando o vírus se espalha após ser excretado por pessoas que foram imunizadas com a vacina oral para pólio. Crianças não-vacinadas e pessoas com imunidade baixa correm um risco alto de serem infectadas pela água contaminada e pelo esgoto.
Da Reuters

Postagens mais visitadas