Carne apreendida em empresa de alimentos tinha larvas e insetos

A carne seca apreendida em um empresa de processamento de alimentos na cidade de Itupeva (SP) nesta terça-feira (27) estava com larvas e insetos, segundo informações divulgadas pela Polícia Civil.


Cerca de 50 toneladas estragadas do produto foram apreendidas no pátio da empresa do grupo Marfrig. Em nota, a empresa afirmou que o material seria descartado.

A Polícia Ambiental e a Vigilância Sanitária chegaram ao local depois de uma denúncia de pessoas que moram perto da fábrica. Elas informaram que estavam sentido um forte mau cheiro no local.

De acordo com a polícia, as caixas com as carnes apreendidas estavam cobertas por lonas no pátio da empresa, ao lado de uma linha de produção. Policiais disseram que, durante conversas com funcionários, eles revelaram um plano de reaproveitamento dos produtos. A carne estaria sendo analisada e reembalada para venda.

Para o delegado Luis Carlos Duarte, o material seria processado e voltaria para o mercado. “Essa carne deve ser destruída. Estamos mantendo em depósito no próprio local, até por uma impossibilidade de movimentar a carga no momento. Vamos acompanhar a destinação dada a ela, que seguramente será destruída”, diz.

A carne saiu de Rio Verde (GO) e estava em Itupeva há quase um mês. A procuradora da empresa foi presa em flagrante por crime contra as relações de consumo e a denúncia será encaminhada agora para outros órgãos competentes.

Por meio de nota, a Marfrig carne apreendida está regular e que "faz parte de um lote de produtos em processo de descarte devidamente acondicionados e vistoriados pelo Serviço de Inspeção Federal do  Ministério da Agricultura, portanto, não destinados à comercialização e ao consumo".

G1

Postagens mais visitadas