Prefeitura da Capital elimina quase uma tonelada de merenda vencida

Quase uma tonelada de carne, arroz, feijão, fubá e óleo, merenda que seria entregue a escolas da rede municipal de Campo Grande, foi recolhida nesta terça-feira (13) do depósito pela empresa de lixo porque estava estragada.
Os 980 kg de alimentos venceram durante a greve dos professores municipais, que durou 77 dias, e serão levados para incineração.

Os produtos estragados estavam no galpão onde fica a merenda escolar desde o dia 8 de setembro, quando a prefeitura informou que estavam vencidos. Segundo a assessoria da prefeitura da capital, os alimentos estragados não foram retirados do depósito antes porque aguardavam laudos da Vigilância Sanitária, para comprovar que a merenda estava imprópria para consumo.

Retirada dos produtos foi feita por empresa responsável pelo lixo na capital (Foto: Alexandre Cabral/ TV Morena) 
Empresa de lixo retirou merenda estragada e vai
incinerar (Foto: Alexandre Cabral/ TV Morena)

Além disso, a Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Agereg) teve que entrar em contato com a empresa responsável pela coleta e manejo de lixo na capital para pedir a retirada e incineração dos produtos.

A retirada dos produtos foi feita para que o depósito pudesse passar por limpeza e receber novos alimentos. Segundo a prefeitura, os estoques começam a ser repostos ainda nesta tarde.

A constatação dos produtos vencidos aconteceu diante da situação de falta de merenda nas escolas municipais e creches da capital. O problema, segundo a prefeitura, é que faltam recursos. Dos R$ 10 milhões do governo federal para a compra da merenda este ano, restaram somente R$ 400 mil. Dos R$ 6 milhões de recursos próprios do município, sobraram R$ 2,2 milhões.

Na época, o Ministério Público do Estado (MP-MS) esteve no depósito onde ficam armazenados os alimentos da merenda para fazer uma vistoria. A avaliação vai fazer parte de um relatório da Promotoria da Infância e Juventude, que apura o motivo que provocou o vencimento de quase uma tonelada de alimentos.

Para tentar resolver a falta de merenda, o prefeito Alcides Bernal anunciou, no dia 8 de setembro, a compra de alimentos para merenda escolar sem processo de licitação. Segundo a administração, o estoque do depósito na época era suficiente para abastecer 198 escolas e creches por dois dias.

Segundo a Procuradoria-Geral da prefeitura, a legislação permite que as compras emergenciais podem ser feitas no máximo por 180 dias.
Merenda estava vencida e foi incinerada (Foto: Alexandre Cabral/ TV Morena)Merenda estava vencida e foi incinerada (Foto: Alexandre Cabral/ TV Morena)
 
G1

Postagens mais visitadas