A China quer clonar cachorros

De acordo com reportagem do site China Daily, o projeto, que pode custar até R$ 111 milhões, será uma parceria entre a área de desenvolvimento tecnológico e econômico da cidade com a companhiaYingke Boya Gene Technology, subisidiária da maior empresa chinesa do ramo de células-tronco, a Boyalife Group Ltd.

Os objetivos nas clonagens variam em cada espécie. Os cavalos serão replicados de campeões de corrida, visando que os genes do campeão continuem vivos. Os cachorros, por outro lado, serão utilizados como farejar drogas, ou até mesmo pessoas soterradas em dessastres naturais. Já os bovinos seriam reproduzidos visando o consumo humano de carne e leite. A ideia é que o número de espécies clonadas aumente ao longo do tempo. Em entrevista ao jornal britãnico The Guardian, executivo-chefe da Boyalife, Xu Xiaochun, afirmou que está nos planos de longo-prazo, clonar animais em extinção, incluindo um panda gigante. "Isso vai mudar nosso mundo e nossas vidas", afirmou "Fará nossa vida melhor. Então estamos muito, muito ansiosos com isso", completou Xiaochun.
A clonagem não é uma novidade na China. Estima-se que uma única companhia, chamada Benjing Genome Institute, clone cerca de 500 porcos anualmente, para fins de pesquisas médicas. A própria Yingke Boya já firmou uma parceria  com a Sooam Biotech Research Foundation, empresa sul-coreana, e planeja clonar até o fim do ano 550 cães.
Além do laboratório, o novo projeto vai incluir um banco genético e um salão de exposições científicas e educacionais. Não foram reveladas datas sobre a construção ou a inauguração do local. 

Postagens mais visitadas