Venda de bacon na Grã-Bretanha cai após estudo indicar risco de câncer

As vendas de linguiça e bacon caíram consideravelmente nos principais supermercados da Grã-Bretanha nas semanas seguintes à publicação de um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontando que comer carne processada pode causar câncer no intestino, de acordo com dados publicados nesta segunda-feira (23).

A Agência Internacional para Pesquisa sobre Câncer (Iarc), parte da OMS, colocou no mês passado as carnes processadas em sua lista do Grupo 1, que inclui tabaco, amianto e fumaça de diesel, como elementos para os quais há "provas suficientes" de ligações com câncer.
"Embora tenha havido antes ligações entre certos tipos de carnes e algumas formas de câncer, esse anúncio de uma entidade global altamente respeitada foi citada amplamente pela mídia e teve um impacto imediato sobre as opções de compras de algumas pessoas", disse Martin Wood, chefe das áreas de visão estratégica, soluções de varejo e inovação da IRI.
O instituto de pesquisas IRI mediu as vendas de bacon e linguiças nos principais supermercados da Grã-Bretanha na semana encerrada em 31 de outubro, quando houve o anúncio do Iarc, e na semana seguinte, terminada em 7 de novembro, e calculou uma queda no valor das vendas de cerca de 3 milhões de libras (US$ 4,5 milhões) durante as duas semanas, em comparação com o ano passado.
A IRI disse que as vendas de linguiças pré-embaladas caíram 15,7% na semana de 31 de outubro em comparação com a mesma semana do ano anterior em termos de valores, enquanto as vendas de bacon pré-embalados caíram 17%.
Da Reuters

Postagens mais visitadas