Esparadrapo do futuro será feito de gel ultrarresistente

Os esparadrapos do futuro serão feitos de hidrogel. Trata-se da nova invenção do MIT – Massachusets Institute of Technology: um material ultra elástico, aderente e transparente para ser aplicado sobre as feridas de modo a protege-las e a tornar mais rápido o processo de cura.
A particularidade desse gel, além da sua formidável resistência, é que no seu interior podem ser inseridos medicamentos, chips, sensores e outros componentes eletrônicos.
Esta não é a primeira vez que os pesquisadores desse instituto norte-americano tentam reproduzir em proveta o material que constitui os animais, ou seja um gel composto de redes de polímeros ligadas a moléculas de água. Depois de várias tentativas com pouco ou nenhum êxito – falta de resistência e de elasticidade – os pesquisadores tiveram êxito ao lançar mão das características da poliacrilamida para criar o hidrogel. Trata-se de um copolímero, ou seja, uma macro molécula cuja cadeia polimérica contem unidades repetitivas de tipo diverso.
Resistente e versátil
A característica fundamental desse gel, composto de cerca 90% de água, é a sua resistência: uma vez aplicado sobre a pele, a força que o conecta à ferida é comparável àquela que mantém unidos cartilagens e tendões. Isso permite proteger inclusive os pontos mais incômodos do corpo, tais como o joelho e os cotovelos, sem que esse esparadrapo de descole.
Os eventuais chips inseridos no gel permitirão efetuar “medicações inteligentes”, no próprio local, segundo as condições físicas do paciente medidas pelo sensor. Por exemplo, o dispositivo se ocupará da distribuição dos fármacos com base da temperatura corpórea e segundo as necessidades reais do paciente. Como declara o professor Xuanhe Zhao, do MIT, “O nosso hidrogel funciona como uma perfeita interface entre o corpo humano e os componentes eletrônicos”.

Postagens mais visitadas