Vigilância Sanitária barra distribuição de leite com a presença de formol


A Vigilância Sanitária Estadual interditou a distribuição e o comércio do leite Lactomil, produzido pela empresa G. M. Malacarne & Cia, de Serranópolis do Iguaçu. Após denúncias sobre alterações no sabor do produto, foram encaminhadas amostras do leite que apontaram resultado positivo para presença de formol. 

A Secretaria de Estado da Saúde determinou a suspensão imediata da distribuição e comercialização por medida cautelar no momento da primeira denúncia feita em 25 de novembro. Após a confirmação da existência de formol no leite pasteurizado integral na primeira análise realizada, lote fabricado em 24-11/validade 2-12, outras amostras também foram encaminhadas para o Laboratório Central do Estado (Lacen). 

As amostras do lote fabricado em 1-12 validade 9-12 também apresentaram resultados positivos para a pesquisa de formaldeído. Foram realizadas cinco análises nos dois lotes e todas confirmaram a presença da substância. O leite da marca foi então interditado e determinada a inutilização do produto. 

O Lactomil também era distribuído para alimentação de alunos de escolas estaduais na região Oeste do Paraná. As escolas foram alertadas e o leite descartado. 

“A quantidade de formol encontrada no produto não é tóxica. Até o momento, não fomos notificados sobre nenhum caso de intoxicação alimentar após o consumo do leite”, ressalta o chefe da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Santana. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, o pagamento para a empresa foi sustado e o caso está em análise no departamento jurídico. Se a situação não for regularizada, a empresa pode sofrer sanções como o impedimento de participação em licitações públicas. 

A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento suspendeu a aquisição de leite da G. M. Malacarne & Cia, que também era fornecedora do Programa Leite das Crianças para parte da região Oeste do Estado. 

A interdição permanece até que haja comprovação de que o problema foi totalmente sanado pela indústria. O consumidor que encontrar o leite sendo comercializado não deve adquirir o produto. Comunique o fato à Vigilância Sanitária estadual pela Ouvidoria Geral da Saúde no telefone 0800 644 4414. 

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em: www.pr.gov.br ewww.facebook.com/governopr  

Postagens mais visitadas