Cão com paralisia participa de bloco carnavalesco ao estilo 'Globeleza'

cadelinha paraplégica chamada de Aleijadinha, também conhecida como "Alê", participou da folia de carnaval e foi às ruas depois de ficar famosa com a paródia da “Globeleza”.
 Entre personagens como “Super-Cão” e outras diversas fantasias adaptadas para cachorros, a cadela – com cadeira de rodas enfeitada – virou atração em um evento adequado ao bem estar de cães em São Paulo. 
Cadela se tornou atração em evento (Foto: Patrícia Alcolea/Arquivo pessoal)
Cadela se tornou atração em evento
(Foto: Patrícia Alcolea/Arquivo pessoal)
De acordo com a dona, Patrícia Alcoléa, de Sorocaba (SP), foi o destaque do bloco animal no domingo (7). “Disseram que ela era a que mais chamava atenção, que se tivesse um concurso, ela ganharia”, brinca.
O vídeo postado nas redes sociais mostra a cadelinha curtindo a festa planejada especialmente para cães. “Fui pesquisar na internet onde teria carnaval em que pudesse levar animais, afinal, queria curtir com os cachorros, pois, nos mais comuns, tem muita gente e não é pensado para eles”, explica. Além disso, o som alto e o asfalto quente são preocupações que levam a dona afastar a Alê, e outros animais de estimação, do ambiental festivo inadequado.
'Alêbeleza'
No embalo da folia, a “Globeleza”, nome dado à cobertura do carnaval no Brasil feita pela Rede Globo e também à mulata que samba nas vinhetas da emissora, se tornou inspiração para a Aleijadinha, uma cadela paraplégica, que teve a sua história de superação repercutida nas redes sociais, protagonizar uma versão da música para falar sobre conscientização.

Com a ideia na cabeça, a dona botou a mão na massa e buscou inspirações em trajes que não usassem penas de animais. cadeira.
Em entrevista ao G1, Patrícia afirma que o objetivo era incentivar a adoção de um modo divertido. Tarefa cumprida, se depender do cantor do samba “Alêbeleza”. “Quem me conhece sabe que não tenho muita experiência com cães. Minha família nunca teve cachorro e uma mordida na infância me deixou traumatizado”, lembra Gustavo Vieira que, após emprestar a voz para o jingle, adotará um cão. Ainda segundo ele, de preferência, vira-lata.
Fantasia não utiliza material animal (Foto: Patrícia Alcolea/Arquivo pessoal)Fantasia não utiliza material animal (Foto: Patrícia Alcolea/Arquivo pessoal)
‘Aleijadinha –Alê’
As publicações que deixaram a cadela famosa na internet são administradas pela Patrícia que coleciona mais de 7 mil curtidas na página. Alê ganhou uma segunda chance ao ser encontrada pela irmã da publicitária se arrastando em uma rodovia, debilitada e sem o movimento das patas traseiras.

Patrícia levou Aleijadinha para curtir a folia (Foto: Patrícia Alcoléa/Arquivo Pessoal)
Patrícia levou Aleijadinha para curtir a folia
(Foto: Patrícia Alcoléa/Arquivo Pessoal)
Em meio a machucados e sem os movimentos, a cachorrinha foi encaminhada para dois veterinários. Com uma nova família e recuperada dos ferimentos, Alê enfrentou a fase de fisioterapia.
Atualmente, a família se desdobra para zelar pelo bem-estar da Alê e dos outros três cães da casa.
Segundo Patrícia, além da cadeira de rodas especial, ela precisa usar fraldas, consequência de ter perdido o controle das fezes e urina. 
Dos dias em que se arrastava para sobreviver sozinha em uma rodovia até hoje, quem conhece Alê se comove, segundo Patrícia.
Mas, ela garante que a cadelinha se adaptou e está cercada de amor para aproveitar o resto da segunda chance de viver. "Eu queria que as pessoas soubessem que não precisam ter pena, pois ela é muito feliz e tem todos os recursos que precisa para viver bem", finaliza.
Dona mantém página em rede social da cadela de estimação (Foto: Patrícia Alcoléa/Arquivo pessoal)Dona mantém página em rede social da cadela de estimação (Foto: Patrícia Alcoléa/Arquivo pessoal)
Alê tem até uma rampa de acesso especial para se locomover  (Foto: Arquivo pessoal)Alê tem até uma rampa de acesso especial para se locomover (Foto: Arquivo pessoal)
Do G1

Postagens mais visitadas