Serviço de saúde diz ter registrado transmissão sexual de zika


Serviço de Saúde do Condado de Dallas, nos Estados Unidos, divulgou que a região teve um caso de transmissão sexual de zika vírus.
O comunicado foi divulgado pelo órgão nesta terça-feira (2), mas os Centros de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC) esclareceram que a agência não investigou como o caso foi transmitido.

Segundo o comunicado, um paciente foi infectado depois de ter tido contato sexual com uma pessoa doente que tinha retornado da Venezuela, onde existe circulação do zika vírus. O serviço não divulgou a identidade dos pacientes.
Dúvidas
O diretor do DCHHS, Zachary Thompson, toma o caso como prova de que o vírus pode ser transmitido pelo sexo. Porém, até o momento, ainda não existem evidências científicas suficientes para afirmar que a transmissão sexual do zika vírus é possível. O CDC, por sua vez, enfatizou que não investigou como o caso de Dallas foi transmitido.

Já havia ao menos um caso documentado de zika vírus possivelmente transmitido por relação sexual, também nos Estados Unidos. Um estudo publicado na revista científica “Emerging Infectious Diseases” em maio de 2011 relata o caso de um cientista americano que, ao voltar do Senegal para os EUA em 2008, quando o país africano era acometido por surto do zika vírus, desenvolveu os sintomas da infecção já em casa, no estado do Colorado.
O fato de sua mulher, que não saíra dos EUA, também ter sido infectada pelo zika foi interpretado pelos pesquisadores como um indício de uma possível transmissão sexual, pelo sêmen, do vírus.
OMS investiga
Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que estava investigando um caso de transmissão do zika vírus por contato sexual, sem dar detalhes de onde e quando o caso teria ocorrido.

"O zika já foi isolado em sêmem humano, e já foi descrito um possível caso de transmissão sexual de pessoa-para-pessoa", afirmou um comunicado da OMS, distribuído pela agência de notícias Reuters. "Mais evidência porém, é necessária para confirmar se o contato sexual é um modo de transmissão."
O relato foi divulgado durante o encontro do painel executivo da entidade, em Genebra, que discute epidemias em escala global.
Do G1

Postagens mais visitadas