Vitamina C não previne gripes e resfriados

Com a queda na temperatura nos estados das regiões Sul e Sudeste do Brasil, é comum que a população seja acometida por gripes e resfriados. 


Para prevenir, muitos fazem uso diário de cápsulas efervescentes de vitamina C, que são vendidas indiscriminadamente em farmácias e sem necessidade de prescrição médica. Contudo, não há evidência científica que comprove que o uso do nutriente previna o surgimento de infecções como gripe (incluindo o H1N1) e resfriados, de acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), a partir de revisão sistemática do Cochrane Database of Systematic Reviews.

Nos anos 70 passou a ser amplamente divulgado que a vitamina C poderia prevenir ou até mesmo tratar resfriados, porém isso passou a ser questionado e mais estudado recentemente. Uma revisão sistemática da Cochrane que incluiu vários estudos comparativos, envolvendo mais de 11 mil pessoas, concluiu que o efeito preventivo ou curativo da vitamina C não passa de um mito", explica Rodrigo Lima, diretor de comunicação da SBMFC.
Com essa revisão foi constatado que os participantes que ingeriram pelo menos 0,2 gramas de vitamina C por dia não tiveram modificação na incidência do resfriado, o que significa que não é eficaz na prevenção da doença. Em outra abordagem, 31 estudos que somam mais de 9 mil participantes, constataram que esse consumo influencia apenas em pequena redução da duração de sintomas de resfriados. O resultado dessas revisões, comenta Lima, indica que não houve efeito preventivo nem amenização dos sintomas, quando o resfriado acometeu os participantes do estudo.

Postagens mais visitadas