No futuro, você poderá usar leite para embalar comida

Não adianta chorar pelo leite derramado - até porque, se você aproveitar ele direitinho, a substância pode criar um material que protege alimentos e, de quebra, alivia um pouco nossos problemas com poluição. Pesquisadores do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estão desenvolvendo um novo tipo de embalagem mais eficiente que o plástico. 

Tudo feito do mesmo líquido que você mistura com café para preparar aquele pingado.
A ideia não é simplesmente despejar leite em cima dos alimentos, tem bastante ciência por trás DISSO. Os cientistas isolaram especificamente uma proteína que existe dentro da bebida, a caseína. Quando polimerizada, a substância forma estruturas com poros tão pequenos que conseguem isolar o alimento do contato com o ar de modo 500 vezes mais eficiente do que as embalagens de plástico que temos atualmente. "Os filmes feitos com base em proteínas são poderosos bloqueadores de oxigênio que previnem a deterioração dos alimentos. Isso poderia diminuir o desperdício de comida durante sua distribuição", afirmou, em comunicado, Peggy Tomasula pesquisadora da USDA, e uma das responsáveis pelo projeto.
O vídeo abaixo mostra um pouco do produto.
Uma das utilidades mais exploradas pelos envolvidos no projeto é a criação de pequenas embalagens que sirvam para armazenar porções únicas de alimento e que não criem resíduos. Durante a apresentação do projeto no encontro anual da Sociedade de Química dos Estados Unidos, por exemplo, Laetitia Bonnaillie, co-autora da pesquisa, preparou um café colocando uma mini-embalagem dentro de um copo com água quente. O plástico se dissolve água com temperatura elevada, não altera o gosto da bebida e ainda adiciona algumas proteínas ao café. Não houve produção de resíduos. "Se você quiser, você poderia comer a embalagem. Se não, pode jogar fora - o material é biodegradável, não vai gerar lixo", afirmou, no evento.
Outra possibilidade, é o uso da substância em forma de spray. Uma borrifada e o produto embala qualquer alimento. Por enquanto, os pesquisadores estão testando a técnica em cereais matinais. A embalagem deixa os flocos crocantes por mais tempo, sem usar açúcar (tecnica utilizada atualmente).
A promessa é que o produto continue sendo testado e aperfeiçoado antes que, de fato, chegue às prateleiras para o consumidor. Os envolvidos no projeto acreditam que deve levar três anos para isso se concretizar - até lá, não coma o plástico, por favor. 

Postagens mais visitadas