Fábrica clandestina reaproveitava queijos vencidos na PB

Uma fábrica clandestina de queijos foi fechada em uma operação da Polícia Civil, no início da tarde desta quinta-feira (17) em Campina Grande, no Agreste paraibano. 

Na fábrica, que funcionava em uma residência, a polícia encontrou embalagens falsificadas e cerca de uma tonelada de queijo fora do prazo de validade, que eram reaproveitados como queijo ralado.
Durante a ação, cerca de 1 tonelada de queijo foi apreendida. A suspeita é de que os produtos falsificados e estragados eram distribuídos em mercadinhos da cidade.
A operação foi realizada pela Delegacia de Defraudações e Falsificações da Polícia Civil, em uma ação conjunta com a vigilância sanitário o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
A fábrica clandestina funcionava na rua José Firmino da Silva, no bairro Jardim Paulistano. Duas das três pessoas apontadas como proprietárias do local foram presas. Os dois homens foram encaminhados para a Central de Polícia Civil.
Operação apreendeu queijo do reino vencido desde agosto de 2015 (Foto: Jéssica Costa/TV Paraíba)
Operação apreendeu queijo do reino vencido desde
agosto de 2015 (Foto: Jéssica Costa/TV Paraíba)
No local, a polícia também encontrou embalagens de queijos falsificados, que eram marcadas com um falso número de CNPJ. No local, também foi encontrado um estoque de queijo do reino com validade vencida desde agosto de 2015.
Segundo a vigilância sanitária, os queijos estragados eram triturados para serem revendidos como queijo ralado. Para disfarçar o gosto, os falsificadores também trituravam torradas para misturar ao queijo. Uma caminhonete que estava no local, já carregada com queijo para distribuição, também foi apreendida. Ainda segundo a vigilância sanitária, esta não foi a primeira vez que produtos vencidos foram encontrados no local.
Do G1 PB

Postagens mais visitadas