Promotora diz que encontrou alimento podre em São João do Rio do Peixe

O juiz da 1ª Vara de São João do Rio do Peixe, José Irlando Sobreira Machado determinou na semana passada, o fechamento da casa dos idosos, que era administrada pela Fundação do Bem Estar do Idoso e tinha a frente Francinete Marques Alves (Neta). 

A ação foi proposta pelo Ministério Público há quase dois anos.
Flávia Cesarino, que está a frente da promotoria disse à imprensa de Cajazeiras nessa quarta-feira (30), que a casa não tinha condições mínimas de funcionamento e revelou que a comida dos ‘velhinhos’ era guardada na geladeira em sacos de lixo.
A promotora informou que visitou a casa várias vezes, explicou que a residência alugada pela fundação era de 1º andar, o que dificultava o acesso dos moradores e contou: “Quando entrei no banheiro o espelho não se enxergava de tanta poeira e teia de aranha”.
De acordo com Flávia, alimentos dos idosos ficavam em um freezer desligado, o que acabava apodrecendo a comida. “Fora a isso tudo os idosos pediram socorro para sair da casa”.
Ela disse que a responsável plea antiga casa não tinha condições de cuidar dos idosos, além de ter prestado supostas informações falsas ao Ministério Público.
“Cheguei lá e tinha uma idosa amarrada em uma cadeira de rodas e a antiga responsável se negou a entregar documentos pessoais e cartões de banco dos idosos dizendo que ia sacar dinheiro e pagar dívidas. Foi preciso uma ação de busca e apreensão para tomar os cartões dela”, relatou a promotora.
Nova
A Associação Sagrada Família assumiu a responsabilidade dos idosos e abriu uma nova casa. A transferência dos ‘velhinhos’ ocorreu com a presença de assistentes sociais, médicos e conselheiros. O presidente da associação, José Batista informou que a associação já existe há quatro anos e foi fundada com o intuito de trabalhar pelo bem estar de idosos.
Ele explicou que foi chamado pelo MP e em reunião com os demais dirigentes da instituição resolveu assumir os idosos após o fechamento da antiga casa. No total são seis pessoas e segundo o presidente eles chegaram a nova morada “assustados”, mas com a convivência já estão ‘tranquilos’.
Antiga administração
A reportagem do Diário do Sertão falou por telefone com Dona Neta, que negou qualquer irregularidade no local. Segundo a ex-administradora a casa funcionava bem, os idosos eram bem tratados, havia cuidadores, além de atendimento de profissionais de saúde.
“Era o maior conforto da vida. Alimentação quatro vezes por dia”, destacou o a mulher
Segundo Dona Neta, os idosos a chamavam de ‘mãe’ e foi bastante dolorosa a saída deles do local, pois se emoconaram e pediram para ficar sob seus cuidados.
Ela ainda negou busca e apreensão dos documento e cartões dos idosos. “Fui entregar ao juiz”. Disse a ex-responasável pelos idosos.
DIÁRIO DO SERTÃO

Postagens mais visitadas