Sem machos, tubarão fêmea se reproduz de forma rara em cativeiro

Um tubarão zebra teve três filhotes sem manter relações sexuais com um macho na Austrália. 

A fêmea, chamada Leonie, já havia dado crias em 2012, após o cruzamento com um tubarão chamado Leo. Desde 2013, eles não vivem no mesmo tanque, o que intrigou cientistas e levou a uma análise do caso.
“Pensamos que ela poderia ter guardado esperma dentro de si, mas, quando fizemos testes nos filhotes comparando DNA com o do possível pai, constatamos que eles tinham apenas as células da Leonie”, de acordo com Christine Dudgeon, pesquisadora biomédica da Universidade de Queensland, na Austrália.
O tubarão mudou seu método de reprodução sexuada para um processo assexuado chamado partenogênese – do grego, criação virgem – que não exige fertilização e é mais comum em plantas e animais invertebrados, apesar da existência de casos semelhantes em lagartos e tubarões.
Esta é a primeira vez que cientistas registram um caso de transição de reprodução sexuada para assexuada. A partenogênese é rara e foi registrada somente sete vezes em tubarões, segundo a ABC News australiana.
“Leoni se adaptou às circunstâncias e acreditamos que ela tenha mudado porque perdeu seu companheiro reprodutor. O que queremos saber agora é se isso acontece na natureza e, se sim, qual frequência”, afirmou Dudgeon.
A descoberta foi registrada em um estudo publicado no jornal Scientific Reports.

Postagens mais visitadas