Peixe paz e amor se defende injetando opióides em seus predadores

Pequenos peixes, grandes presas. O discreto blackline fangblenny (Meiacanthus nigrolineatus), peixinho de aquário do Oceano Índico com cerca de 9 cm de comprimento, ostenta um par de dentões caninos desproporcionais – e eles não são só enfeite. 

Quando atacado por predadores, o nigrolineatus entra em clima de resistência pacífica e, em vez de injetar os venenos dolorosos carregados pela maior parte das espécies do gênero Meiacanthus, usa uma dose pesada de analgésicos opióides – categoria de drogas como a morfina e a heroína.
A descoberta é da equipe de Nicholas Casewell, biólogo da Escola de Medicina Tropical de Liverpool, na Inglaterra. Num artigo científico, os cientistas relatam testes com ratos de laboratório em que o único efeito colateral da substância liberada pelo peixinho de listra negra (veja foto) foi uma queda brusca na pressão sanguínea do mamífero – que saiu desorientado e com náuseas, incapaz de correr atrás do próprio almoço.
“É surpreendente que o veneno do nigrolineatus seja indolor”, afirmou à imprensa Bryan Fry, coautor do estudo e pesquisador da Universidade de Queensland. “Peixes venenosos costumam causar dores insuportáveis. A pior dor que já senti, com exceção de quando quebrei a coluna, foi a causada pela cauda venenosa de uma arraia. É um inferno.”

Postagens mais visitadas