Plantas têm um "cérebro" que determina o seu crescimento

Pesquisadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, descobriram que plantas podem ter um tipo de "cérebro"



Diferentemente das estruturas avançadas dos animais, essas células atuam como um centro de comando de escolhas, determinando quando ocorre a germinação — o que é fundamental para a manutenção do ciclo de vida das espécies. 

Os cientistas descobriram que as células estão divididas em dois tipos: as que estimulam e as que desestimulam a germinação. Com a ajuda de hormônios elas decidem quando o clima está melhor para que o processo seja iniciado.

Após essas observações, os especialistas refizeram o experimento com plantas geneticamente modificadas, comprovando o primeiro descobrimento. Entretanto, como é difícil estudar esses seres vivos em tempo real, um modelo matemático foi criado para prever como funcionam as células em diferentes situações.

"Nosso trabalho revela uma separação crucial entre os componentes de um centro de tomada de decisões dos vegetais", afirma o Professor George Bassel, líder do estudo, em declaração.

O mais curioso é que dois tipos de células são necessários porque elas podem ter "opiniões diferentes" em relação ao clima ao redor delas e, portanto, a planta só germinará quando ambas "concordarem" que chegou o momento: "É como ler a resenha de um crítico quatro vezes ou combinar quatro pontos de vista diferentes antes de decidir ir ao cinema", brinca o biomatemático Iain Johnston.

Postagens mais visitadas