Pular para o conteúdo principal

PRF apreende 125 kg de queijo impróprio para consumo na Paraíba

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu, no final da manhã de hoje, 125 quilos de queijo durante fiscalização na BR 230, no município de Sobrado, Zona da Mata da Paraíba.

O produto foi encontrado na carroceria de uma pick up Fiat Strada, dentro de caixas de papelão. O primeiro fato que chamou a atenção dos policiais foi ausência de câmara frigorífica para o transporte de alimentos perecíveis, como é o caso do queijo, exigido pela norma sanitária brasileira para garantir a sua preservação. Outra questão foi que o condutor não tinha nota fiscal da carga. 
Mas o que preocupou mais os policiais foi que o fabricante não tinha a certificação do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F.), emitido pelo Ministério da Agricultura, comprovante que atesta que o estabelecimento segue as normas adequadas para a manipulação de alimentos com o objetivo de garantir a preservação da saúde do público consumidor. O queijo vinha da cidade de Pombal, Sertão paraibano, e seria comercializado na feira de Sapé.
Os agentes da PRF encaminharam o produto apreendido para a Agência Estadual de Vigilância Sanitária da Paraíba (Agevisa), que autuará o fabricante e incinerará os 125 de queijo.
Polícia Rodoviária Federal

Postagens mais visitadas deste blog

Cuidado, 'cheirinho da loló' é mais perigoso do que parece

A causa da morte, na madrugada de segunda-feira, do adolescente de 17 anos que passou mal após consumir maconha e loló no Emissário Submarino, ainda não foi identificada. Mas, a suposta overdose pode ter sido causada pela inalação de loló, que é um preparado clandestino à base de clorofórmio e éter.
A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) classifica o loló, também conhecido como cheirinho da loló, como solvente ou inalante, que são substâncias consideradas inofensivas aos outros órgãos, a não ser o cérebro.
No entanto, um fenômeno produzido pelos solventes pode ser muito perigoso: eles tornam o coração mais sensível à adrenalina (hormônio fabricado pelo organismo), que faz o número de batimentos cardíacos aumentar.
“O clorofórmio é um anestésico que deixou de ser usado na Medicina porque pode provocar parada cardíaca. Se quem o inala tiver um problema no coração, o risco de ataque cardíaco é ainda maior”, afirma o cardiologista César Augusto Conforti.
De acordo com dados d…

Personal trainer morre com suspeita de febre amarela em hospital particular, em João Pessoa

A Secretaria de Saúde do Estado acompanha a investigação da morte de um homem natural do Espírito Santo por suspeita de febre amarela.

Galinha bota ovo gigante no município de Uiraúna - PB

Um caso inusitado foi registrado neste sábado (12), no Sítio Agreste, município de Uiraúna.