Restaurante japonês é interditado

O restaurante Kantô Sushi Express, na Rua Riachuelo, no centro de Porto Alegre, foi interditado no início da tarde desta quarta-feira (28) pela Polícia Civil e pela Vigilância Sanitária da Capital. 

Durante fiscalização realizada nesta quarta, foram detectadas irregularidades como alimentos mal acondicionados e fora da temperatura adequada. Além disso, não havia responsável técnico, como por exemplo, um nutricionista. 
O delegado Rafael Liedtke, responsável pela Delegacia do Consumidor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), diz que o restaurante de culinária japonesa não estava cumprindo as normas sanitárias exigidas para a atividade e, apesar de ter sido notificado sobre a questão, continuava atuando sem ter resolvido os problemas apontados em fiscalizações anteriores.
— Alimentos impróprios para o consumo, que foram apreendidos, serão inutilizados — afirmou Liedtke. 
Será instaurado inquérito policial para apuração dos fatos. O responsável pelo estabelecimento vai responder, em tese, por delito contra as relações de consumo, prescrito no inciso IX do artigo 7° da Lei n° 8.137/1990. 
Em nota, o restaurante afirmou que fez modificações exigidas e que "que trabalha somente com produtos frescos e de procedência segura".
Confira a nota completa: 
"O restaurante Kantô Sushi Express informa que no dia 6 de abril deste ano, recebeu uma vistoria da Vigilância Sanitária e foi notificada para fazer adequações no estabelecimento para cumprir a lei 1109/2016 que se trata das exigências mínimas para produção, preparo e comercialização de sushis no município de Porto Alegre. Nesta data o restaurante buscou assessoria de uma empresa especializada na legislação, a Inova Nutri. Ficando pendente apenas a instalação de uma pista fria, para exposição do buffet de sushis em refrigeração. O restaurante passou a trabalhar no sistema de sequência até que a pista fosse fabricada.
No 19 de junho, a empresa recebeu a pista fria e voltou a trabalhar com a exposição de buffet de sushis, que passaram a ser refrigerados. Como o produto é fresco e preparado pelo sushiman em temperatura ambiente, mesmo com a pista fria leva um tempo para ficar na temperatura exigida.
Na vistoria feita no dia de hoje, às 11h, a Vigilância Sanitária fez a medição da temperatura com os alimentos em produção, não dando tempo para atingir a temperatura adequada. O restaurante ratifica que trabalha somente com produtos frescos e de procedência segura, além de insumos dentro da validade.
A empresa informa a seus clientes que tem toda a preocupação com a qualidade dos produtos oferecidos e seguirá sempre primando pela segurança dos alimentos e qualificação de sua equipe."

Postagens mais visitadas