Saúde de Campina Grande investiga segunda morte suspeita de infecção por superbactéria

A Saúde de Campina Grande investiga suspeita de uma segunda morte por infecção com a bactéria KPC (Klebsiella pneumoniae Carbapenemase). Nesse domingo (23), morreu a idosa Margarida Felismino da Silva, de 78 anos. Ela estava internada com sintomas de pneumonia há cerca de 20 dias no hospital Pedro I, onde teria adquirido a bactéria. 

A paciente era natural de Alagoa Nova e foi o segundo caso de óbito em Campina Grande, em que se suspeita da infecção pela bactéria. 
Na última sexta-feira (21), uma outra idosa, de 92 anos, também morreu com indícios de ter contraído a bactéria KPC. 
Na última sexta-feira, a Secretaria Municipal de Saúde de Campina Grande confirmou que a Ala Vermelha da UPA 24h, que funciona no bairro Alto Branco, e a UTI do Hospital Pedro I foram infectadas pela superbactéria KPC. As unidades tiveram que passar por um processo de desinfecção.
A superbactéria KPC é um microrganismo que foi modificado geneticamente no ambiente hospitalar e que é resistente aos antibióticos. A bactéria foi identificada pela primeira vez no Brasil em 2012. Ela se reproduz em ambientes hospitalares e é altamente resistente a antibióticos, o que dificulta o combate realizado por medicamentos contra ela no organismo. Na certidão de óbito foi registrado que Margarida morreu por insuficiência respiratória. 

Fonte: ClickPB 

Postagens mais visitadas