Operação apreende meia tonelada de produtos de origem animal

Mais de meia tonelada de produtos de origem animal foram recolhidos durante operação de fiscalização no comércio dos municípios de Abelardo Luz, Ouro Verde e Ipuaçu, todos no Oeste de Santa Catarina. Os alimentos foram encaminhados ao aterro sanitário e destruídos.


A ação foi  coordenada pela Promotoria de Justiça da Comarca de Abelardo Luz com apoio da Polícia Militar, Vigilância Sanitária, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa e Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc. A promotora Lia Nara Dalmutt, explicou que a medida visa  proteger o consumidor do risco de adquirir produtos sem inspeção e fora do prazo de validade, portanto impróprios ao consumo, e evitar a concorrência desleal.
Em Abelardo Luz, foram recolhidos mais de 150 quilos de alimentos sem inspeção e outros 50 quilos de produtos fora de validade. Em Ipuaçu foram apreendidos 350 quilos de produtos sem inspeção. Já Ouro Verde  aproximadamente de 100 quilos, também sem inspeção.

A promotora informou que agora o Ministério Público aguarda o relatório das equipes, com o nome dos estabelecimentos e as irregularidades constatadas. “O objetivo não é multar ninguém, mas que os comerciantes se conscientizem e não coloquem mais para vender produtos impróprios”, declarou.
Inspeção
O Departamento Estadual de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Cidasc atua na fiscalização dos estabelecimentos das áreas de carne, leite, pescado, mel, ovos e demais derivados. O serviço prestado é inovador, sendo reconhecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, além de ser realizado por técnicos capacitados que contemplam, inclusive, as agroindústrias familiares.
Os profissionais da Cidasc verificam todo o processo produtivo, da obtenção de matérias-primas ao produto pronto para comercializar, assim fica garantida a segurança dos alimentos oferecidos à população. O Departamento ainda atua no combate as fraudes e na apuração de denúncias de consumidores quando relacionadas à produtos de origem animal. Para mais informações, clique aqui.
Fonte: Ivan Cezar Fochzato/ RBJ Notícias

Postagens mais visitadas