China está a clonar cães para estudar doenças cardiovasculares

Uma empresa chinesa está a clonar cães para estudar doenças cardiovasculares. A medida está a colocar cientistas e activistas de costas voltadas. À SÁBADO a Ordem dos Veterinários diz-se contra tudo o que cause sofrimento animal. 


SinoGeneclonempresa que faz estas clonagens, já clonou Apple, dando origem a Longlong (na foto em cima), que tem um genoma alterado para desenvolver aterosclerose, de acordo com a CNNCom uma informação genética codificada, a doença - uma das principais causas de acidentes vasculares cerebrais e de doenças cardíacas - foi transmitida para Longlong. Agora, os cientistas vão estudar o animal e avaliar possíveis curas. 

Além destes dois, há mais dois cachorros com genes idênticos, o Xixi e Nuonuo.

"Os cães partilham com os seres humanos as doenças mais hereditárias, o que os torna os melhores modelos para estudar", diz Feng Chong, director técnico da Sinogene, à CNN, acrescentando que esta foi a primeira vez que os cientistas combinaram duas biotecnologias de ponta: ferramenta de edição de genes, chamada de CRISPR, e a clonagem de células somáticas. 
À SÁBADO, Jorge Cid, Bastonário da Ordem dos Veterinários, diz-se "contra tudo o que esteja relacionado com sofrimento animal". "Não conhecendo propriamente a notícia em causa [CNN] e o facto em si, o que posso dizer é que nunca estaremos de acordo com qualquer tipo de experiência que viole os princípios básicos da ética e que impliquem sofrimento animal", sublinhou. 

A PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) também já se pronunciou sobre o caso em comunicado, afirmando que "a clonagem não é apenas cara, mas também intrinsecamente cruel". 

Recorde-se que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o mundo, matando 17,7 milhões de pessoas em 2015, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. 

Postagens mais visitadas