A Vigilância Sanitária de Barretos, cidade do Estado de São Paulo, apreendeu 600 quilos de carne de porco estragada na última segunda-feira após uma denúncia anônima. 

O produto foi encontrado dentro de um caminhão estacionado próximo a uma manifestação de caminhoneiros, que participavam da greve da categoria.
Os agentes da vigilância encontraram dezoito peças de carne em estágio inicial de apodrecimento e sem refrigeração adequada. Os produtos seriam entregues em um supermercado da região de Barretos.
O caminhão-baú, utilizado no deslocamento da mercadoria, estava parado no km 425 da Rodovia Brigadeiro Faria Lima havia dois dias, de acordo com o coordenador da vigilância sanitária de Barretos, Marco Antônio Rocha Silva. Segundo ele, o veículo não era apropriado para o transporte de carne.
Após verificação dos agentes sanitários, a carne foi considerada imprópria para o consumo humano – o supermercado responsável pelo produto foi notificado. Agora, o estabelecimento tem dez dias para apresentar defesa pelos crimes contra a saúde pública e transporte de alimento impróprio para o consumo humano. A multa pode variar de 500 reais a 10.000 reais.
Toda a carga foi encaminhada para um frigorífico de Barretos para ser incinerada.
Segundo Silva, há possibilidade de que produtos ruins cheguem aos supermercados após a greve dos caminhoneiros. “A orientação que estamos passando à população é que fique atenta à embalagem de produtos, principalmente daqueles que necessitam de refrigeração, como carne e frios”, disse Silva.
Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), cerca de 135.000 toneladas de carne de aves e de suínos deixaram de ser embarcadas desde o início da greve.
Da Veja

Postagens mais visitadas