Após a greve, cuidado com os alimentos

O reabastecimento de comida nos mercados é motivo de alívio para quem estava com a geladeira vazia. 

No entanto, a chegada de produtos, especialmente os de origem animal, mantidos sabe-se lá em que condições durante os nove dias de greve dos caminhoneiros, é causa de preocupação.
"Estes produtos necessitam de refrigeração, seja resfriamento ou congelamento. A partir do momento em que você quebra a cadeia de frio e mantém o produto em temperatura inadequada, é grande a possibilidade de transmissão de doença para o consumidor", alerta a coordenadora de Vigilância Sanitária de Alimentos do Rio, Aline Borges.
Ela orienta os consumidores a redobrar a atenção nas compras, principalmente, de carnes congeladas e laticínios, mais suscetíveis às contaminações. Porém, o zelo se estende a todas as mercadorias. "O leite Tetra Pak, apesar de não ser mantido em refrigeração, se ficar em temperatura ambiente muito alta, como a boleia de caminhão no sol, também pode ficar contaminado", diz Aline. Nesses casos, o consumidor deve ver a embalagem. Se a caixa estiver estufada é por causa do gás expelido pelos microorganismos.
Segundo o gastroenterologista Marco Antônio Banal, os riscos de consumir um alimento estragado dependem do nível de contaminação e a imunologia da pessoa. "Os alimentos derivados de animais têm uma deterioração maior por possuir mais bactérias. As carnes, por exemplo, são um material rico em sangue. O ferro deste sangue alimenta as bactérias, então elas se reproduzem mais rapidamente. O nível de contaminação no vegetal já é menor. Os alimentos, mesmo na validade, podem não ter sido bem acondicionados, por isso é essencial verificar o aspecto, se tem mofo, uma cor diferente etc", explicou.
O médico também reforçou que independente do nível dos sintomas de intoxicação é importante procurar orientação clínica. "Os problemas podem ir desde uma intoxicação alimentar, a chamada gastroenterite, que é uma inflamação gástrica e intestinal que causa diarreia, vômito e desidratação, até uma septicemia, doença grave que acontece quando muitas bactérias infectam o intestino e se translocam para a circulação sanguínea. Em alguns casos, o organismo consegue se recuperar sozinho, mas em outros um antibiótico precisará ser usado, por exemplo", afirmou.
Fonte: O Dia

Postagens mais visitadas