Cavalos entendem emoções humanas – e se lembram de gente mal-humorada

Não é só o simpático cavalo Spirit que consegue lembrar como os humanos estão. 

Cientistas da Universidade de Sussex, na Inglaterra, descobriram que os equinos são capazes de se lembrar de expressões faciais humanas e agir de acordo com elas: uma careta raivosa deixará o cavalo mais cauteloso da próxima vez que encontrar com aquela pessoa, enquanto expressões felizes o deixarão mais relaxado.
Estudos anteriores já haviam descoberto que os cavalos reconhecem expressões faciais, agora os cientistas constataram que eles também se lembram delas: “Nós sabíamos que os cavalos podiam registrar expressões emocionais, mas queríamos saber se eles conseguiam se lembrar delas, podendo usar essas memórias para guiar suas futuras interações com indivíduos específicos”, disse Karen McComb, co-autora do estudo.
A pesquisa usou dois grupos de cavalos: o primeiro via fotos de pessoas com expressão de raiva, e o outro via pessoas sorrindo. Cada cavalo observou as fotografias por dois minutos, e, três a seis horas depois, foi colocado cara a cara com as pessoas que estavam nas fotos. O voluntário não sabia se o cavalo havia visto uma foto feliz ou raivosa, e mantinha uma expressão neutra diante do equino.
Cavalos que viram a foto de uma pessoa irritada passaram mais tempo observando-a com o olho esquerdo, além de terem achado o encontro estressante — eles exibiram “comportamentos de enfrentamento”, como arranhar e farejar o chão. McComb explica que a olhada pela esquerda é uma informação importante, já que o que é captado pelo olho esquerdo é enviado para o hemisfério direito do cérebro, onde ameaças e perigos potenciais são processados.
Por outro lado, aqueles que viram as fotos felizes passaram mais tempo olhando a pessoa com o olho direito: “O hemisfério esquerdo do cérebro conecta-se ao olhar direito e é mais especializado em reações pró-sociais e positivas”, disse a pesquisadora.
No entanto, a equipe aponta que não está claro se os cavalos também podem reconhecer as expressões de outras espécies, ou se eles estão particularmente ligados com os humanos, através de uma habilidade inata ou aprendida — por causa da domesticação. “Mas é realmente interessante que os animais estejam aprendendo as sutis expressões emocionais que os humanos estão revelando”, acrescentou McComb.
Da Superinteressante 

Postagens mais visitadas