Saiba como o repelente de insetos deve ser utilizado durante a gravidez

Durante o período de gestação, diversos cuidados devem ser levados em consideração para que o bebê seja gerado com saúde. Ter uma alimentação saudável, praticar atividades físicas e se hidratar de forma adequada, por exemplo, são alguns deles ao longo dessa fase.
Outro cuidado importante para as futuras mamães é o uso do repelente diariamente, a fim de combater as picadas do Aedes aegypti, mosquito transmissor do vírus zika, relacionado à microcefalia. A doença causa má formação fetal.
Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso de repelente para gestantes é livre, desde que o produto esteja registrado no órgão.
Como gestantes devem usar o repelente?
O repelente em spray cria uma barreira de proteção de até 4 cm em volta da pele, repelindo o mosquito. Ele deve ser aplicado nas partes expostas do corpo e por cima da roupa. O contato na área dos olhos e boca deve ser evitado.
A reaplicação deve ser realizada de acordo com orientação do fabricante, não ultrapassando o limite de três vezes ao dia. Diante do uso de filtros solares, maquiagens e hidratantes, o repelente deve ser o último a ser aplicado, com intervalo de 15 minutos após a aplicação destes produtos.
Uso de repelente para gestantes é livre, desde que o produto esteja registrado na Anvisa (Foto: Divulgação)Uso de repelente para gestantes é livre, desde que o produto esteja registrado na Anvisa (Foto: Divulgação)
Uso de repelente para gestantes é livre, desde que o produto esteja registrado na Anvisa (Foto: Divulgação)
Quais repelentes são recomendados para gestantes?
Todos os repelentes de uso tópico à base de DEET, IR 3535 e Icaridina, desde que devidamente registrados na Anvisa, podem ser utilizados durante a gravidez.
O que deve ser evitado?
Os inseticidas naturais à base de citronela, andiroba e óleo de cravo, entre outros, pois não possuem comprovação de eficácia pela Anvisa.

Do G1

Postagens mais visitadas