Mercado tinha carnes com indícios de contaminação e doces impróprios para o consumo

A Vigilância Sanitária inutilizou quase 60 quilos de carnes e doces durante fiscalização em um mercado no bairro Corrêas, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio.


Os fiscais flagraram na segunda-feira (13) produtos acondicionados de forma irregular e outros fora da validade.
O estabelecimento foi autuado por diversas infrações, além de ter tido o açougue e a produção de linguiças interditados. A equipe da Vigilância Sanitária também proibição do uso de uma casa em frente ao mercado, que era feita de depósito de carnes. O imóvel não possui licença para este tipo de serviço.
“Foram interditados o açougue, pela falta de boas práticas e de licença, e o depósito de carnes. Lá era feita a desossa, corte e preparo das carnes para a fabricação das linguiças. Só que o serviço era feito sem o licenciamento obrigatório da Secretaria Estadual de Agricultura ou diretamente do Ministério da Agricultura”, frisou a coordenadora de Vigilância Sanitária, Dayse Carvalho.
Carnes eram armazenadas em locais impróprios (Foto: Divulgação/Ascom Petrópolis)Carnes eram armazenadas em locais impróprios (Foto: Divulgação/Ascom Petrópolis)
Carnes eram armazenadas em locais impróprios (Foto: Divulgação/Ascom Petrópolis)
A ação foi motivada por denúncias encaminhadas diretamente à Coordenadoria de Vigilância Sanitária. O depósito era utilizado ainda para montagem e estoque de cestas básicas vendidas pelo mercado. Chamou a atenção dos fiscais, também, as más condições do freezer onde estava armazenado parte do estoque de carne.
Entre os produtos inutilizados, estão ainda carnes salgadas para preparo de feijoada inadequadas para consumo. De acordo com o município, elas estavam avermelhadas, o que indicava contaminação.
“O proprietário foi intimado a comparecer na próxima semana à Vigilângia Sanitária para recebimento de outros termos pertinentes à inspeção geral que foi feita no estabelecimento, além de adequações a serem feitas nos processos de trabalho e boas práticas, na estrutura e de regularização das atividades que pretende e hoje não possui”, explicou a coordenadora.
Para denúncias e pedidos de fiscalização, a Coordenadoria de Vigilância Sanitária (Covisa) atende pelos números (24) 2246-9209 e 2246-9041.
    Do G1

Postagens mais visitadas