Mofo, carne podre e baratas: fábrica de salgados é interditada pela 2ª vez na Capital

O Serviço de Fiscalização de Alimentos (Sefal) da Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) interditou na quarta-feira (27) uma fábrica de salgados que funcionava anexa a um supermercado no Jardim Itamaracá. No local, havia paredes com mofo, carne que aparentava estar apodrecida e baratas.

O documento que aponta as irregularidades do local menciona que a “fábrica já foi interditada no passado pelas péssimas condições de higiene encontradas, o que não mudou na atual vistoria”, caracterizando que os proprietários não cumpriram as exigências solicitadas em vistoria anterior, reabriram o local sem autorização e o colocaram em funcionamento. 
A Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo (Decon) foi acionada para apurar a violação do rompimento da interdição anterior, o que foi constatado. Os fiscais foram até o local após recebimento de denúncia anônima e constataram péssimas condições de higiene.
Na fábrica de salgados, a farinha usada na produção estava ensacada e encostada em parede mofada, configurando irregularidades no acondicionamento. A manipulação do alimento era inadequada, sem as mínimas condições sanitárias.
Os banheiros usados por funcionários tinham acesso direto ao mesmo local onde eram preparados os salgados, além da ausência de produtos para higienização de mãos.
Outra constatação encontrada no local e relatada no auto de infração foi a grande quantidade de vetores, como baratas. A carne usada no processo de produção, também apresentava coloração e odor alterados.
O Auto de Infração e o Termo de Interdição foram lavrados diante ao alto risco sanitário que o estabelecimento apresentava. O local deve permanecer interditado até que todas as pendências sejam sanadas e regularizadas.

Postagens mais visitadas