EUA aprovam o uso de primeira vacina contra dengue

Agência dos Estados Unidos para Alimentos e Medicamentos (FDA) aprovou com restrições o uso no país da primeira vacina contra a dengue, no último dia 1. 

A Dengvaxia, do laboratório francês Sanofi Pasteur, deverá ser aplicada somente para pessoas com idade de 9 a 16 anos residentes em áreas onde a doença é epidêmica e que já tenham sido antes infectadas.
Segundo o jornal The New York Times, a decisão do FDA foi tomada depois de o laboratório Sanofi ter admitido que a vacina pode provocar a forma mais grave de dengue se for aplicada em pessoas que nunca foram contaminadas pela doença. Em nota, a agência informou que os efeitos adversos da vacina são: dor de cabeça, dores nas juntas, fadiga, dor no local da injeção e febre baixa. A frequência desses efeitos foi similar à das pessoas que receberam placebo, durante os testes.
A vacina é vendida em outros países, inclusive o Brasil, desde 2015. Dois anos depois, as Filipinas cancelaram a licença do laboratório para vender o produto depois de ter vacinado seus 830.000 estudantes do ensino fundamental. Os mesmos efeitos que o FDA quer evitar, com as restrições impostas, foram constatados no país asiático.
No Brasil, em 2017, o laboratório Sanofi Pasteur pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a atualização das informações sobre as restrições à aplicação da vacina. Também propôs alterações na bula do medicamento. Segundo a empresa, para a população indicada, de mais de nove anos de idade e que vive em áreas endêmicas, a vacina preveniu 93% dos casos severos e reduziu 80% das internações hospitalares durante os 25 meses de estudos em 10 países.

Postagens mais visitadas